Boletins Informativos

GRUPO VIDAS CRIA NÚCLEO DE QUALIDADE E SEGURANÇA ASSISTENCIAL

O Grupo Vidas enxerga a segurança do paciente como algo primordial e necessário. Pensando nisso, criou o Núcleo de Qualidade e Segurança Assistencial, requisitos considerados indispensáveis para garantir a sustentabilidade organizacional e econômica da Atenção Domiciliar. Considerado um setor dinâmico e complexo e que necessita de investimentos em práticas e sistemas seguros, o Grupo agora tem uma equipe direcionada especialmente para a segurança do paciente, que está sempre em primeiro lugar!

Há 11 anos no Grupo, Roberto Corrêa Leite está à frente do trabalho e conta como surgiu a ideia para a implantação do novo núcleo. "Nos preocupamos muito com a qualidade e a segurança do paciente. Tal preocupação se intensificou ainda mais após a defesa da minha dissertação de Mestrado intitulada de 'Buscando manter-se enquanto família e garantir a qualidade do atendimento à criança/adolescente doente: cuidadores familiares interagindo com o Home Care'. A pesquisa foi realizada em 2018, com nove famílias de crianças/adolescentes em internação domiciliar com o objetivo de compreender a influência do home care na dinâmica familiar."

O profissional explica que neste estudo, entre outros resultados, evidenciou-se que os cuidadores familiares preocupam-se com a qualidade e a segurança do cuidado prestado, não apenas da criança, no sentido de prevenir a ocorrência de danos e iatrogenias, como também de toda a família. "Além disso, com o novo cargo, o Grupo Vidas pretende dar início a uma mudança de cultura dos colaboradores, seguindo o movimento internacional sobre Segurança do Paciente, implementando medidas preventivas, indicadores e a melhoria contínua dos processos, objetivando a excelência operacional e, a longo prazo, a busca por um modelo de Acreditação", detalha Roberto, que é Mestre em Enfermagem.

Com o Núcleo de Qualidade e Segurança Assistencial, o Grupo busca ainda a melhoria na integração e na prática dos processos executados, melhoria no desempenho das equipes de trabalho, a diminuição do retrabalho, maior visibilidade e transparência entre clientes e fornecedores, maior desenvolvimento profissional, a melhoria na satisfação das famílias e pacientes e, por fim, o aumento da competitividade no mercado e melhoria na segurança efetiva das famílias e pacientes. 

Sobre os benefícios do núcleo aos pacientes, Roberto afirma que "além do cuidado seguro, proporcionaremos ainda mais qualidade e eficiência na assistência oferecida, considerando que boas práticas em segurança assistencial refletem na qualidade, no bem-estar e no nível de satisfação dos pacientes e famílias. Sabemos que quanto mais envolvido e comprometido o paciente estiver com a sua saúde e segurança, maior será a sua capacidade de ajudar a prevenir incidentes relacionados a assistência à saúde." E complementa: "outro aspecto é o paciente e seus familiares terem conhecimento que a empresa que os assiste se preocupa com a sua segurança, por meio da existência de protocolos, indicadores e de um núcleo de segurança que irá ampará-los caso necessitem."

Já para o Grupo Vidas, a criação e função do novo núcleo colabora tanto para a visibilidade da empresa, como também promove a entrega de um cuidado ético, com menor risco de danos e embasado em evidências científicas, favorecendo a compliance, ou seja, a conformidade com as leis e regulamentos externos e internos, como explica o profissional. "Sabemos que perante a complexidade da assistência à saúde, atualmente caracterizada por complexas intervenções, o erro humano nunca será eliminado totalmente, mas devemos nos empenhar para reduzir significativamente sua quantidade e gravidade. Há muito para fazermos ainda, mas reconhecer a dimensão e o impacto que a segurança assistencial exerce sobre a qualidade do atendimento é um grande passo."

Vale ainda destacar que aliado a preocupação com a qualidade e segurança assistencial, o Grupo também investirá no setor de Educação Continuada, que deve abranger os setores assistenciais e administrativos e parcerias com empresas fornecedoras de materiais e equipamentos, como uma das principais estratégias para a adoção de práticas seguras no trabalho em saúde. "Consideramos a Educação Continuada uma ferramenta que contribui para que os colaboradores se conscientizem sobre as consequências de suas práticas e a aderência aos novos processos em fase de implantação", finaliza o gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança Assistencial.